17 Giugno 2024

As minhas três flores

Poesia dedicada a Sua Santidade o Papa Francisco, poesia da obra O Sangue das Palavras – Cheikh Tidiane Gaye, Edições Kanaga, 2018

Poesia traduzida pelo Prof Gianfranco Longo

A primeira flor nasce e não morre,
tem o amor como semente e as suas pétalas
assobiam o seu nome no ventre da flauta.
Ouça a sua voz que diz:
Nasci entre Belém e Jerusalém,
o meu corpo suporta a dor,

os gritos das crianças, das mulheres e dos homens.
O meu nome continua a ser a vossa efígie: amor
para cantar a humildade dos maiores fiéis.
Trago comigo as cicatrizes dos olhares desnorteados,
carrego comigo os olhares perdidos no oceano
do sofrimento,

carrego comigo o grito da esperança,
sou a flor que brota,
sou o amor do templo,

sou a luz do Espírito Santo,

sou a luz escura do espírito de paz,

sou o cristalino que canta o céu da paz.

Flor, Tu és chamado Jesus porque Tu és amor.
Decorei o teu nome, que não conhece o inferno,
e acendeu-me incenso, que perfuma os meus passos,
os passos do teu povo, do nosso povo.
Quando penso em ti, a sala ilumina-se

com a luz celeste
visível e invisível no céu estrelado que louva,

o teu coração libertou-me da injustiça.

A minha segunda flor cresce,

e, quando fala, traça o caminho da paz com as mãos.

Escutai, ó Israel,

o SENHOR é o nosso Deus, o SENHOR é um só.
Repeti-o três vezes,

seis, nove vezes, doze vezes,

repeti-o muitas vezes,

sussurrei-o às plantas,

fecundei-o nas vossas nuvens,

entoei-o nos versos das vossas orações,

ofereci-o aos sedentos de paz
para medir o vosso amor profundo:

“Amarás o Senhor, teu Deus, com todo o teu coração,

com toda a tua alma e com todas as tuas forças”.

Repeti o teu mistério,

porque tu és aquela estrela que me segue
do amanhecer ao anoitecer e me guia,

Tu és o vento que refresca o silêncio das minhas noites escuras,

Tu és aquele ar límpido e doce,

que sopra a minha sombra, que abraça a tua sombra.

Das trevas renasce a tua sombra, que resta
do ninho dos meus pensamentos, a tua respiração encanta-me.
Tu, Moisés, segue-me para abraçar os meus passos,

o meu corpo, as minhas unhas, e os meus cabelos,

dos teus cabelos a minha sabedoria.
O que eu acho de você? Escrevo o teu nome
nos batentes das portas das casas
porque Tu és amor e paz

Porque Tu és o altar da Paz,

Porque Tu és o Arco da Paz,

Porque Tu és a honra da Paz.

Porque Tu és o coração da palavra,

Porque Tu és a seiva existente.

Minha terceira flor nasce e ainda vive,
vive em toda parte, onde é misericórdia.
Minha flor branca e fértil, vermelha, cheia de vida,
alta e acaricia as montanhas,
sublime viajante para tecer os versos da paz.
Quando a minha flor floresce, as pupilas eloquentes aclamam
aqueles olhares de amor e paz que nunca nascem
na aridez da terra, mas na riqueza dos céus férteis de palavras.
Esta minha terceira flor não conhece sangue,
seu perfume é espesso com fragrâncias,
minha flor, eu digo a você:
Gostaria que o teu coração fosse um poço de mel,

gostaria que o teu olhar fosse o horizonte dos monges,
gostaria, gostaria que os teus passos fossem o caminho dos filhos de Israel.

Eu acredito em uma fé

e coloquei minhas três flores
em um vaso para traçar uma fé,
esculpir uma luz, cantar um hino,

agitar uma bandeira,

e essa bandeira é a igreja,

Lascia il tuo commento

*


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.